Notícias

  • Mais de 60 milhões de pessoas precisam de acessibilidade digital: Entenda quem são as pessoas que se beneficiam de sites acessíveis

    Neste dia 21 de setembro, comemora-se o Dia Nacional de Luta das Pessoas com Deficiência! Hoje no Brasil já são mais de 60 milhões de pessoas com algum tipo de necessidade específica para acessar a web e se beneficiam da acessibilidade digital. Portanto, é uma parcela muito grande da população que ainda é negligenciada pela sociedade em diversos aspectos, e um deles é o digital.

    A transformação digital foi acelerada nos últimos tempos e os negócios foram obrigados a reforçar sua presença na web oferecendo formas para que as pessoas possam consumir seus produtos e serviços on-line.

    O problema é que poucas pessoas sabem que um site, assim como uma edificação, também precisa ser acessível.

    E quando o seu site não possui acessibilidade digital é como se suas portas estivessem fechadas para milhões de potenciais consumidores, profissionais e parceiros que não conseguem ter acesso ao seu conteúdo na web.

    Quando pensamos no termo “acessibilidade digital” podemos não entender o que isso significa por completo.

    Não sabemos exatamente quais são as pessoas que precisam e que se beneficiam com um ambiente digital inclusivo.

    Então é isso que vamos explicar nesse texto. Quem são as pessoas que se beneficiam dos sites acessíveis.

    Hoje, mais do que nunca, as pessoas têm utilizado os meios digitais para comprar, vender, trabalhar, se informar e criar relacionamentos.

    O comércio eletrônico, por exemplo, cresceu desde o início da pandemia, e a previsão é que continue em alta e aumente ainda mais sua participação em comparação ao varejo.

    Dos 14,6 milhões de sites brasileiros analisados na pesquisa realizada pela Big Data Corp em parceria com Movimento Web Para Todos, apenas 0,74% é acessível.

    É um universo muito pequeno.

    Mas quem são as pessoas que precisam de acessibilidade digital?

    No Brasil, de acordo com o último Censo do IBGE realizado em 2010, existem cerca de 45 milhões de pessoas com algum tipo de deficiência visual, física, auditiva, intelectual ou múltipla que é associação de duas ou mais deficiências.

    As deficiências se dividem em graus leves, moderados e severos de limitações e para cada caso há uma necessidade específica quando se trata de navegar em um site.

    Uma pessoa que não enxerga, por exemplo. Como ela faz para acessar o conteúdo de um site?

    Normalmente uma pessoa cega utiliza um software de leitura de tela permitindo-a escutar o texto, mas quando o site não está programado corretamente o usuário não consegue fazer seu software funcionar.

    Mas a pessoa não precisa ser cega para precisar de algum recurso especial. Muitas pessoas tem subvisão, ou seja, enxergam com dificuldade.

    Pegue o caso de uma pessoa idosa que não consegue ler o conteúdo de um site na tela pequena do seu celular.

    Ou uma pessoa daltônica, que possui dificuldade de enxergar determinadas cores e não consegue ler o conteúdo do site porque a fonte está sobre um fundo que confunde sua visão.

    Estima-se que no Brasil existam cerca de 8 milhões de pessoas daltônicas.

    Os números são impressionantes mesmo.

    São cerca de 35,5 milhões de pessoas com algum tipo de deficiência ou limitação visual.

    Aproximadamente 13,3 milhões de pessoas que possuem algum tipo de deficiência física.

    Além de 9,7 milhões que possuem deficiência auditiva.

    E 2,7 milhões de pessoas com alguma deficiência intelectual.

    São mais de 60 milhões de brasileiros que necessitam de um ou mais recursos para navegar na internet.

    Ainda há outras milhões de pessoas que se beneficiam de um site acessível. Pegue por exemplo as pessoas analfabetas (7% da população), analfabetas funcionais – incluindo as crianças – (27% da população) e pessoas que passaram por cirurgia e possuem limitações temporárias).

    Outro ponto importante é que a expectativa de vida está cada vez mais alta e a população está envelhecendo e adquirindo naturalmente necessidades específicas de visão, audição e de movimentos, e também precisam de acessibilidade digital.

    Um site inacessível não atende todas essas pessoas.

    Muitas estão em casa desenvolvendo mais de uma tarefa ao mesmo tempo. Com computadores mais obsoletos, internet mais lenta, e por vezes cuidando da casa e dos filhos enquanto trabalham.

    Nesses casos um site com uma navegação mais simples e acessível beneficia a navegação.

    Pode-se fazer muito proveito de um site acessível, ao não depender da ajuda de terceiros. Garantindo mais autonomia, preservando sua privacidade e, principalmente, podendo utilizar os sítios conforme sua vontade, sem restrições.

    Muitas vezes, a simples mudança no tamanho da fonte, mudança no contraste e texto alt nas imagens, já fazem toda a diferença para que mais pessoas possam acessar os seus conteúdos.

    E é claro, quanto maior o público que o seu site abrange, maiores são também a quantidade de acessos e as oportunidades.

    E isso nos leva a um ponto: está na hora de entendermos que a acessibilidade digital é parte FUNDAMENTAL não apenas da experiência dos usuários, mas também para os negócios e para geração de impacto positivo na sociedade.

    A autonomia na vida de todas as pessoas precisa ser garantida também na internet, assim como a igualdade de direitos, de oportunidades e de acesso às informações.

    Você pode pensar, novamente, em uma pessoa cega, agora imagine que ela mora apenas com seu parceiro, caso queira fazer uma surpresa comprando um presente para essa pessoa, como poderia fazê-lo, sem enxergar os sites, a descrição dos produtos?

    Ou ela estragaria a surpresa, ou teria que pedir para uma terceira pessoa ajudá-la. O processo como um todo é desgastante e não ajuda a incluir.

    E COMO PODEMOS MUDAR ISSO?

    A primeira coisa que devemos considerar é o que o seu site precisa para se tornar mais acessível. Por exemplo:

    • É possível navegar no seu site por comando de voz?
    • Há possibilidade de alterar o tamanho da fonte, aumentar e diminuir o cursor?
    • É possível mudar as cores das fontes, dos cabeçalhos, do fundo do site?
    • Existe a possibilidade de transformar o texto em áudio?

    Essas são algumas das implementações importantes para que um site se torne acessível.

    A tecnologia da EqualWeb une todas essas funcionalidades (e muitas outras fundamentais para a boa navegabilidade das pessoas que possuem qualquer tipo de necessidade específica de navegação) em um único lugar, sem que você precise fazer qualquer tipo de alteração no código ou na aparência do seu site.

    Por meio dessa solução sua empresa pode entrar para o time daquelas que contribuem para o acesso de milhões de pessoas na internet.

    Pensar em acessibilidade digital é uma necessidade que não é opcional, já que, além de ser definido por Lei (Lei Brasileira da Inclusão), também é para onde a internet está caminhando. Um lugar mais aberto para todos, independentemente da forma como precisa acessar a internet.

    E o melhor de tudo é que a tecnologia da EqualWeb torna qualquer site em um ambiente inclusivo com praticidade, rapidez e segurança, a um valor super acessível. Fale com um de nossos profissionais!


0 comentários

Deixe uma resposta

A EqualWeb é uma das soluções líderes globais em acessibilidade digital. Há 6 anos, vem tornando sites e conteúdos digitais acessíveis para pessoas que possuem alguma necessidade especial.

São Paulo

Av. das Nações Unidas, 8501, 17º andar
Pinheiros, São Paulo/SP

E-mail: [email protected]

Rio de Janeiro

Rua Visconde de Pirajá 351, Andar P
Ipanema, Rio de Janeiro/RJ

Telefone: +55 21 99506-0993