Notícias

  • Hashtag #PraCegoVer caiu em desuso? Redes sociais agora contam com recurso de descrição de imagem

    Compartilhe

    Provavelmente você já deve ter visto nas redes sociais empresas adicionando no final de cada postagem a hashtag #PraCegoVer ou #ParaTodosVerem. Caso nunca tenha se deparado com essa informação, explicaremos para você o que é e como funciona.

    Essa hashtag representa um movimento que começou através de um evento virtual no Facebook, em 2012, idealizado pela professora baiana Patrícia Braille. Através do evento, Patrícia convidava usuários da plataforma a realizarem uma nova experiência: fazer a descrição do conteúdo para uma pessoa com deficiência visual. O movimento foi se expandindo, e as ferramentas online e o Google passaram a implementar essa hashtag. Isso foi um passo essencial para tornar a internet um ambiente mais inclusivo e igualitário para os deficientes visuais.

    Hoje, o Brasil conta com cerca de 6,5 milhões de pessoas com deficiência visual e 35,5 milhões de pessoas com algum tipo de deficiência visual, segundo dados do IBGE. Pense agora na quantidade de pessoas que estão sendo excluídas de acessar conteúdo online. Sabemos o quanto a internet é importante para que os cidadãos consumam informação e conhecimento e tenham acesso à educação e serviços. Sendo assim, ela precisa ser acessível para todos. E um passo para isso acontecer é realizar a descrição de imagem das postagens nas redes sociais. Dessa forma, todos os usuários conseguirão saber o que está sendo representado na imagem.

    Recurso de inserção da descrição de imagem já está presente nas redes sociais

    Mas você sabia que redes sociais como Twitter, Facebook, LinkedIn e Instagram já permitem a inserção de texto alternativo nas imagens? Pois é. Durante muito tempo, as redes sociais e sites na internet não ofereciam essa opção (o Alternative Text), mas com a necessidade de incluir as descrições nos posts, através das hashtags inclusivas, as ferramentas digitais agora contam com este recurso internamente.

    O texto descritivo não aparece na interface das redes sociais para quem enxerga. Ele aparece apenas para pessoas com deficiência visual, através de tecnologias assistivas e leitores de tela (como TalkBack, do sistema operacional Android, e o Voice Over, do iOS).

    Mas como faço para inserir o texto alternativo nas publicações?

    Para incluir o “texto alternativo”, o usuário deve, no momento de publicar uma nova foto, descrever a imagem por meio da opção “configurações avançadas”. Veja como funciona:

    No Instagram, basta selecionar a imagem que você deseja e clique em “…” localizado na parte superior direita de qualquer post. Assim que clicar, selecione “Editar”. Na imagem, irá aparecer uma opção “Editar Texto alternativo”. Selecionando essa opção, você conseguirá inserir o texto que deseja.

       

       

    No Facebook, o processo é parecido. Basta clicar nos “…”, também localizado no canto superior direito e selecionar “Alterar Texto Alternativo”. Logo em seguida, irá aparecer uma caixa para inserir o conteúdo que você deseja.

       

    No LinkedIn, assim que inserir uma imagem, aparecerá a opção “Editar” em azul. Basta clicar e automaticamente irá surgir uma caixa para inserir o texto alternativo.

             

    Simples, não é? Este processo de inserir o alt text não possui grandes segredos. Mas você pode estar se perguntando agora como fazer para criar uma boa descrição alternativa da imagem. Nós selecionamos as melhores dicas para você.

    Saiba como fazer um bom conteúdo de descrição de imagem

    Primeiro, comece relatando o formato do seu conteúdo. Ou seja, se é uma foto, ilustração, mapas, artes, gráficos, GIFs, vídeo ou algum outro. Se for uma imagem, descreva-a da esquerda para a direita e de cima para baixo. Informe os elementos, os personagens, o local e as cores que aparecem, assim como as ações, mas sem fazer muitos rodeios. É importante que você seja breve e sucinto. No caso dos vídeos, foque nas partes mais importantes de cada cena e descreva a sequência do conteúdo que está sendo exibido.

    Uma dica é: experimentar, na prática, como será a experiência de navegação dos usuários com deficiência visual. Sendo assim, comece instalando um leitor de tela no seu computador ou acione o sistema de leitura nativo do seu celular, como falamos anteriormente. Ao final, veja se você conseguiu compreender as imagens e ilustrações a partir da sua descrição de imagem.

    Nunca devo usar, então, hashtag #PraCegoVer nas postagens?

    Tenha em mente, portanto, que o uso da hashtag só se torna necessário em casos específicos, como conteúdos em vídeo ou links, pois ainda não existe um recurso nas plataformas online que tenha essa função. Além disso, a maioria das redes sociais ainda contam com limites de caracteres para os textos alternativos, tendo como limite 100 a 120 caracteres. Pouco, não?

    Por estes motivos, muitas empresas ainda optam pela hashtag por chamar mais atenção dos usuários, mas há muitas organizações que ainda nem sabem que essas funções internas estão disponíveis. Sendo assim, é importante falar sobre elas. Com ou sem hashtag, é importante que a inclusão esteja presente nas suas postagens. Esta é uma forma também da sua empresa ampliar o conteúdo para diferentes os públicos e melhorar a imagem do negócio! Quer saber mais sobre como implementar a inclusão nos seus conteúdos? Fale com nossos profissionais!


A EqualWeb é uma das soluções líderes globais em acessibilidade digital. Há 6 anos, vem tornando sites e conteúdos digitais acessíveis para pessoas que possuem alguma necessidade especial.

São Paulo

Av. das Nações Unidas, 8501, 17º andar
Pinheiros, São Paulo/SP

E-mail: [email protected]

Rio de Janeiro

Rua Visconde de Pirajá 351, Andar P
Ipanema, Rio de Janeiro/RJ

Telefone: +55 21 99216-5814